O que é um dispositivo SSD? Saiba como deixar o seu PC mais rápido

Quem usa computadores há algumas décadas já viu muitas evoluções do meio de armazenamento de dados. Das fitas barulhentas, aos disquetões e disquetinhos, passando pelo ZIP Drive e, é claro, a grande estrela: o disco rígido.

Mas, tudo evolui e os discos rígidos começam a ser substituídos. Ou, ao menos, ganhar um aliado mais forte – ainda que com custo mais elevado: os SSDs, sigla em inglês para solid state drive.

Onde o SSD se destaca? Onde ele ainda pode ser batido? Quais as diferenças entre HD e SSD? A gente vai dar uma pincelada nesses temas para esclarecer e mostrar para você porque essa nova tecnologia é tão importante.


Diferenças físicas entre o HD e o SSD

A primeira coisa para começar a explicar a diferença entre os dois está no aspecto físico das duas tecnologias.

O disco rígido (ou HD, de hard disk) é uma uma engenhoca cuidadosamente pensada e usada desde a década de 50. Para simplificar seu funcionamento, explicamos que consiste em um disco rígido magnético que gira a uma alta velocidade e um braço que usa uma agulha em um braço mecânico que percorre a superfície na hora da leitura e gravação dos dados.

Já o drive de estado sólido (tradução livre para a sigla SSD) possui apenas dois componentes: um chip de memória flash e um controlador que passa as informações ao computador.

Trocando em miúdos, o HD depende de impulsos mecânicos que façam o disco girar e o braço se movimentar. O segundo apenas de impulsos elétricos que transmita os dados necessários.


O que isso quer dizer?

O leitor já deve ter percebido qual é a solução mais simples: o SSD. Mas explicaremos agora brevemente no que essa simplicidade se reflete e porque o drive de estado sólido está mudando o mercado.

Resistência. Por não possuir peças mecânicas, o SSD não está sujeito a panes como o HD. Suas peças não se gastam da mesma forma.

Leveza. A simplicidade permite a criação de dispositivos minúsculos que, no HD, seriam impossíveis. Menos componentes, menor espaço gasto, computadores menores e mais leves. Por isso, o SSD é amplamente utilizado em portáteis.

Menor consumo de energia. Mais um ponto para o SSD: ele poupa energia e aumenta a autonomia de notebooks e portáteis que passarão um tempão longe da tomada.


Além do físico

Tudo isso que falamos até agora é importante para a popularização do SSD, mas não é tudo. O drive de estado sólido tem entre seus maiores pontos de adoção a alta velocidade. Imagine, uma agulha que percorra um disco metálico pode ser rápido, mas não tão rápido quanto impulsos elétricos.

Junto com um processador poderoso de múltiplos núcleos e memória RAM de qualidade, o SSD dá a um computador capacidade de iniciar o sistema operacional em segundos além de abrir aplicativos e ler arquivos muito mais rapidamente.

Talvez esse seja o ponto de maior convencimento para o uso do SSD. E seja um dos motivos pelos quais muita gente já deixa de procurar HDs externos para apostar em SSDs externos, cujo acesso, gravação e leitura é até 50% mais rápida.


Mas o HD perde todas?

O HD é uma tecnologia que está há mais de meio século em uso. Evoluiu bastante, mas tem seu calcanhar de Aquiles, é claro. Mas o SSD enfrenta o problema de ser uma tecnologia cara. Aos poucos, com a popularização, ficará mais e mais acessível.

Por enquanto, o disco rígido é muito mais barato para quem precisa de muita capacidade. E exatamente por isso surgiu uma categoria de dispositivos híbridos, que carregam as duas tecnologias em um só dispositivo.

Notebooks híbridos e muitos ultrabooks possuem HD e SSD vivendo lado a lado, com a primeira dedicada ao armazenamento de arquivos e backup e a segunda reservada ao sistema operacional para um início muito mais rápido.


Soluções para espaço limitado

Muitos podem argumentar, porém, que o SSD não precisa ser tão espaçoso quanto um HD. E esse ponto está carregado de razão nos dias de hoje, porque se antigamente precisávamos ter tudo fisicamente próximo a nós, atualmente contamos com a nuvem.

São mais e mais comuns serviços de sincronização de dados e backup online que, gratuitamente ou por um preço super acessível armazenam e cuidam de seus dados em um servidor na internet.

A moral da história é que, aos poucos, as tecnologias amadurecem, ficam mais confiáveis e acessíveis. E a gente caminha para um futuro de equipamentos menores, mais leves e muito mais rápidos. O primeiro passo você pode dar agora!


fonte: http://tudo.extra.com.br/informatica/




22 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo